You are currently viewing Webwriting – Saiba como escrever conteúdo para a internet

Webwriting – Saiba como escrever conteúdo para a internet

A internet, com os seus vários canais, exige formas diferenciadas de criação de conteúdo. E o Webwriting é um dos pilares de toda redação na internet.

Uma postagem no Twitter possui características diferentes de uma postagem no Instagram. O texto em um e-mail marketing também será diferente de uma postagem em um blog.

Como podemos ver no nosso dia a dia navegando por canais de vídeos e diferentes redes sociais, a produção de conteúdo nesses meios demanda conhecimento acerca das particularidades de cada um.

Os vídeos no Youtube são um meio audiovisual, sendo assim a redação de um roteiro deve levar em conta aspectos como a edição, a qualidade do áudio e a dicção do apresentador, por exemplo.

Já as postagens no Instagram, que podem levar em conta recursos como stories e reels, também exigem dinâmica própria, com uma estrutura textual adaptada para esse formato e envolvendo especialmente o uso de hashtags.

As famosas hashtags são as parceiras inseparáveis do redator web quando ele for se aventurar nas redes sociais. Hashtags são basicamente palavras ou termos relacionados a conteúdos bastante difundidos em um determinado momento.

Quando esse termo é transformado em hashtag, por meio do clássico jogo da velha (#), ela funciona como um hiperlink conduzindo os usuários para páginas que ampliam o conceito do tema.

Já na redação para um blog, que permite textos com mais palavras, as práticas de Webwriting demandam saber construir parágrafos curtos, a elaboração de títulos chamativos e o uso das técnicas de SEO (em breve vamos nos aprofundar nesse conceito).

O que é Webwriting?

Webwriting é conjunto de técnicas para escrever conteúdos na internet e em diversos canais digitais como sites, blogs, portais, redes sociais e aplicativos.

Sua origem vem do Jornalismo Digital e uma das principais características do Webwriting é ser sempre pautado na usabilidade do conteúdo, facilitando a leitura e a experiência do usuário nos diversos ambientes digitais.

O seu criador é o cientista da computação dinamarquês Jakob Nielsen que é Ph.D em interação homem-máquina e considerado o “pai da usabilidade”.

No entanto, o grande precursor do Webwriting foi Crawford Kilian, um escritor e professor naturalizado canadense que escreveu diversas obras sobre o tema de redação web.

As características e as boas práticas de Webwriting

Agora que você sabe que o trabalho de escrever para a internet demanda pesquisa, domínio do texto e conhecimento dos diferentes formatos de mídias online, vale conhecer ainda outros elementos que trazem ainda mais qualidade para a prática de Webwriting.

Pesquisas – O alicerce de uma redação web de qualidade

Um redator web faz um bom trabalho de Webwriting quando apresenta conteúdo de qualidade, independente desse conteúdo ser um texto institucional para divulgar uma empresa ou marca, ou um texto de cunho informativo e jornalístico.

A qualidade de um texto na web não reside apenas na ortografia impecável, mas também na riqueza das informações. Qualidade e quantidade nem sempre andam de mãos dadas, inclusive quando o assunto é Webwriting.

Sendo assim, o que torna um texto bem escrito para a web não é a elevada quantidade de informações, mas sim, informações precisas e a sua estrutura que ajuda ao usuário a encontrar as respostas que procura.

Por isso, para qualificar ainda mais o trabalho de Webwriting, o principal ingrediente para o redator web enriquecer os seus textos são os dados. Para trazer dados precisos é necessário efetuar pesquisas.

Conteúdo de credibilidade deve contar com fontes críveis para reforçar a veracidade da informação. Nesse caso, é importante inserir links, infográficos e outros elementos em seu texto que trazem mais informações detalhadas.

Por tudo isso, já é bom ter em mente que o uso de links deve ser feito de forma equilibrada e planejada no Webwriting, sempre levando em conta as boas práticas de redação SEO.

Webwriting tem a ver com parágrafos curtos 

Um conceito importante que deve nortear o trabalho de Webwriting é proporcionar uma boa Experiência de Usuário. Por essa razão, parágrafos curtos são uma das prioridades do webwriter.

Os parágrafos curtos recebem mais atenção, pois facilitam a leitura do usuário que em geral apenas passa os olhos no texto até achar a informação-chave.

Lembre-se que parágrafos longos exigem mais tempo de leitura e, em muitos casos, o usuário quer acessar o site para obter uma informação rápida e sucinta.

Além disso, os parágrafos curtos também tornam a leitura mais ágil e menos cansativa. Um texto para a web com parágrafos curtos é mais atraente da mesma forma que consegue transmitir o conteúdo de forma mais compreensível.

Na imagem abaixo você pode ver como é o comportamento de leitura do usuário em termos de busca de informações.

Palavras para ranquear no Google

Fonte: Curso de Webwriting para iniciantes

Webwriting significa escrever com linguagem objetiva 

A redação web deve ser objetiva e direta. Essa é uma característica essencial do Webwriting, pois os usuários, em sua maioria, navegam rapidamente pela web enquanto pesquisam uma informação, produto ou serviço.

Além disso, a internet está cada vez mais abarrotada de informações. Nesse caso, a objetividade na hora de produzir conteúdo pode funcionar como um diferencial.

Inclusive, vários usuários possuem a tendência de não realizar a leitura completa dos textos. Esse é um bom motivo para escrever com objetividade.

Da mesma forma, quando o texto é direcionado para redes sociais, como Twitter e Instagram, ou até mesmo um roteiro para um vídeo no Youtube, a escrita objetiva se torna um elemento fundamental.

Encontrabilidade e Escaneabilidade 

Não é mais novidade para ninguém que, diariamente, toneladas de conteúdos circulam pela internet, seja em blogs, postagens de redes sociais, podcasts, fóruns ou canais audiovisuais.

Sabendo disso, como fazer para que o seu conteúdo seja encontrado pelos usuários? A solução é adotar técnicas de encontrabilidade.

As técnicas de SEO são as grandes aliadas nesse aspecto, por meio de palavras-chaves, construção de links externos e internos e outros recursos.

Já a escaneabilidade, por sua vez, consiste na prática de simplificar ao máximo a visualização e a compreensão de um texto na internet. O intuito é permitir que o texto possa ser assimilado em uma rápida passada de olhos.

Diante disso, a escaneabilidade bem desenvolvida contempla o destaque de termos em negrito, uso de lista, parágrafos curtos, subtítulos e outros recursos.

Uma das principais vantagens que a escaneabilidade proporciona para o criador de conteúdo é uma baixa taxa de rejeição ao texto, bem como permite que o usuário permaneça mais tempo em sua página. Isso é bastante vantajoso para a análise posterior das métricas.

Leiturabilidade 

Esse conceito permite que o seu texto apresente uma leitura agradável e fluida. Ela é a razão para manter a atenção do usuário ao que está escrito.

Ao pensar na leiturabilidade do seu conteúdo, é essencial planejar o tempo de leitura que um texto exige, bem como na facilidade em encadear ideias.

Neste aspecto, o uso de conjunções e frases de transições se fazem mais que importantes para a redação web, pois elas auxiliam o usuário associar ideias e informações apresentadas.

Além disso, outra técnica que ajuda o redator web a dar ritmo a leiturabilidade é ler o próprio texto em voz alta. Por meio desse procedimento é possível ter uma noção mais precisa do tamanho dos parágrafos e o tempo ideal de leitura.

Elementos fundamentais que constituem o Webwriting

Reparou que, em vários momentos sobre as definições de Webwriting surgem as técnicas de SEO e outros conceitos, como, por exemplo, gatilhos mentais e storytelling?

De nada adianta criar textos de parágrafos curtos e objetivos se eles não levam em conta o SEO, não adotam alguns gatilhos mentais e não possuem as características de storytelling.

Todos esses elementos, além de auxiliarem na encontrabilidade e escaneabilidade do conteúdo, também o tornam mais persuasivo, atraente e com credibilidade.

Conheça as técnicas de SEO

SEO é a sigla em inglês para Search Engine Optimization. Em português o nome já entrega os objetivos dessa técnica: Otimização para Mecanismos de Busca.

Em resumo: por meio dessas técnicas, o redator web cria conteúdos para blogs, sites e portais, facilitando a encontrabilidade e o tornando mais amigável aos mecanismos dos sites de busca.

Para você entender melhor o conceito, pense em como você poderia fazer o seu site ou blog aparecer entre as primeiras páginas de sites como o Google ou Bing. Para conquistar as primeiras posições, é necessário usar as técnicas de SEO.

Vale destacar que tais técnicas não consistem em uma solução mágica. Não será da noite para o dia que elas vão colocar o seu conteúdo em um lugar privilegiado. Elas demandam um trabalho contínuo, porém essencial.

As técnicas de SEO estão relacionadas com o conceito de algoritmo do Google e demais sites semelhantes. Os algoritmos atuam combinando operações que vão determinar hierarquias para tornar páginas mais relevantes e, consequentemente, as colocando em boas posições.

Os algoritmos utilizam uma série de critérios, tais como o uso correto de palavras-chaves, velocidade de carregamento, link building e outros detalhes. Inclusive, tais critérios são atualizados com frequência.

Além disso, aquelas páginas com conteúdo que não obedecem a tais critérios são rebaixadas e perdem posição, pois isso mostra que elas não levam em conta fatores que resultam em uma boa UX, também conhecida como User Experience (Experiência do Usuário).

Sendo assim, confira a seguir algumas das práticas mais conhecidas que envolvem as técnicas de otimização para sites de busca e que são essenciais para quem deseja trabalhar com Webwriting.

Palavras-chaves 

Também conhecidas como Keywords, ou KW, as palavras-chaves são peças importantes nas técnicas de otimização e no trabalho de Webwriting. Se SEO fosse uma partida de futebol, as KWs seriam os jogadores titulares.

Elas são fundamentais porque consistem exatamente nos termos que os usuários digitam no Google para encontrarem um site ou um determinado conteúdo.

Por exemplo, um conteúdo em um blog sobre jogos digitais, deve conter palavras-chaves que possuem relação com esse tema.

As Keywords devem ser trabalhadas em espaços estratégicos do texto, como links, títulos, subtítulos, primeiros e últimos parágrafos e até na descrição das imagens. Porém, é importante que o redator web utilize tais palavras com moderação.

Sabe aquela história de que os algoritmos do Google utilizam critérios para ranquear páginas? Pois então, textos recheados de palavras-chaves em todos os cantos dificultam a fluidez da leitura, não valorizam a Experiência de Usuário e, por isso, perdem posição.

Para utilizar de forma correta as Keywords no seu conteúdo, é possível contar com plugins como Yoast SEO que é capaz de avaliar a qualidade e a densidade de palavras-chaves dentro de um determinado texto.

Entretanto, é importante também prestar bem atenção nos tipos de Keywords. Há as chamadas palavras de cauda longa (long tail) e as de cauda curta (short tail). Um exemplo do uso delas pode ser em um conteúdo sobre filmes da cultura pop.

“Homem-Aranha” é a Keyword de cauda curta digitada por um usuário que quer encontrar informações abrangentes sobre o personagem. “Trailer do Homem-Aranha – Sem caminho para casa” é a long tail utilizada pelo usuário que pesquisa o trailer específico do filme.

Todos esses conceitos e ferramentas fazem parte do trabalho do redator web e das boas práticas de Webwriting e por isso, quem deseja ser um redator web precisa dominá-las.

Link Building 

Consiste na utilização de links nas postagens do seu blog ou site. A presença de links mostra para os algoritmos que o conteúdo é relevante e merece conquistar boas posições de ranqueamento.

Para isso, os links utilizados na redação web podem ser externos ou internos. Externos são aqueles que conduzem o seu conteúdo para páginas que abordam o mesmo tema que o seu.

Já os links internos compreendem aqueles que levam para outras páginas do seu blog ou site, complementando e enriquecendo o conteúdo abordado.

No entanto, não custa lembrar: para agradar os algoritmos é preciso agradar também os usuários. Por isso, o conteúdo de qualidade utiliza links com equilíbrio, sem exageros e de forma coerente.

As palavras-chaves, o contexto, a localização e o funcionamento do link também compreendem alguns critérios para um eficiente trabalho de link building.

Portanto, sempre que possível, mantenha os links dos seus conteúdos sempre atualizados, avaliando se eles não estão quebrados.

Outro grande fator de importância para o trabalho de link building é quando o seu site ou blog é referenciado por terceiros. Isso gera mais autoridade e consequentemente mais valor à sua marca.

Tempo de permanência na página 

Se o usuário permanecer um bom tempo no seu blog ou site, os algoritmos do Google avaliam que isso é um indício de conteúdo de qualidade.

Eis aí mais um motivo para o redator priorizar uma boa escrita e todos os elementos do Webwriting capazes de manter o usuário interessado em sua página.

Para fazer o usuário ficar mais tempo interessado em seu conteúdo, além de um texto bem escrito, vale também investir em mais palavras. Portanto, produzir postagens com mais de 1000 palavras é uma boa opção como mostra o gráfico abaixo.

Quantidade de palavras para rankear no Google

Fonte: Curso de Webwriting para iniciantes

O uso dos gatilhos mentais no Webwriting

Os gatilhos mentais consistem em estímulos inconscientes que o cérebro das pessoas recebe para realizar alguma ação. Esses recursos são muito mais comuns para quem trabalha com Copywriting (um primo muito próximo do Webwriting), um assunto que veremos em outro momento.

Quem produz conteúdo para textos persuasivos ou com o intuito de vender um produto ou serviço, deve conhecer melhor esses gatilhos. O webwriter que domina bem o conceito dos gatilhos mentais consegue convencer sem parecer que está dando uma ordem.

Um exemplo prático disso pode ser o gatilho mental utilizado em um Call to Action que estimula o usuário a procurar por mais informações comprando um e-book ou assinando uma newsletter.

Ainda não há um consenso a respeito de quantos gatilhos existem. No entanto, podemos conferir alguns dos principais a seguir.

Novidade 

Esse gatilho desperta no leitor o desejo de conhecer ou ter uma solução nova no mercado, adotar uma ideia inédita, enfim, ele estimula a abraçar algo novo, seja ele um comportamento, um serviço ou um produto.

No dia a dia do redator web, o gatilho da novidade é muito utilizado em conteúdos de caráter publicitário por meio de frases como “conheça o lançamento…”, “fique por dentro das características do novo produto…”

Gatilho da Escassez 

É o gatilho que desperta o desejo apelando para a ideia de que um produto ou serviço está escasso.

Ele pode ser utilizado pelo Webwriting em um texto de conteúdo ecológico, apelando para o emocional do público acerca do desmatamento de uma determinada região ou da ameaça de extinção de algum animal.

Curiosidade 

O objetivo dele é induzir o leitor à ação apelando para um dos sentimentos mais antigos da humanidade: a curiosidade.

“Saiba como ganhar dinheiro na web”, “Conheça x maneiras para cultivar a sua horta” são apenas alguns exemplos de conteúdos que apelam para esse gatilho.

Storytelling – A arte de narrar histórias

Além dos gatilhos mentais, outro meio de engajar o usuário com o seu conteúdo é entender e utilizar bem as práticas de storytelling.

Conferir ao texto um caráter narrativo ajuda a fazer o leitor se identificar com o conteúdo. Um exemplo disso pode ser um vídeo comercial para incentivar a doação de sangue.

O redator web pode criar um roteiro para uma curta história, com início, meio e fim, trazendo personagens que reforçam a mensagem da importância da doação. E roteiro é mais uma área de atuação que abrange o Webwriting.

Uma boa história cabe nos mais variados formatos, seja no audiovisual, em um blog ou um podcast. Contudo, é importante que para isso, o redator web conheça conceitos sobre criação de personagens e arquétipos.

Webwriting é mais que essencial para quem deseja ser um redator web 

Por meio das técnicas é possível persuadir, vender produtos, ideias e emocionar. E a escrita digital deve se adaptar à mídia onde ela é produzida. Sendo assim, o Webwriting possui as suas próprias características.

Saber escrever na internet é conhecer todas as possibilidades de espaço que ela oferece, tais como blogs, redes sociais, vídeos e podcasts.

Sobretudo, também é conhecer as técnicas de SEO, as palavras-chaves que os usuários mais utilizam e os gatilhos capazes de trazer mais engajamento.

São vários os conceitos por trás de um texto para a web bem escrito. Portanto, para se tornar um redator web, é necessário praticar, mas também dominar a teoria e as práticas de Webwriting.

Aprenda Webwriting de verdade!

Se você deseja começar no mundo do Webwriting, agora é possível se especializar e aprender os principais conceitos e práticas da área.

No meu Curso de Webwriting para Iniciantes você aprende desde os primórdios da redação web até as práticas atuais, aprendendo com fundamentos sólidos e se assim se tornar um profissional que irá fazer a diferença no mercado.

Para iniciar, é só clicar aqui e se inscrever hoje mesmo! Comece agora a sua jornada para se tornar um redator web de sucesso.

Este post tem um comentário

Deixe um comentário